quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Agora é preciso continuar a trabalhar em cima desta base.

Finalmente viram-se sinais de mudança. Parece que Rui Vitória percebeu que tem de dar mais força à equipa no meio-campo e torná-la mais equilibrada.

Não me preocupa que a equipa não tenha criado muitas situações de golo ontem. Contra este Manchester de risco 0 é muito difícil. Não é por acaso que eles têm apenas 5 golos sofridos nesta época (2 na Supertaça Europeia, 1 na Liga dos Campeões e 2(!!) na Liga Inglesa). A confiança dos jogadores também não é famosa. Muitas más decisões no último passe e nas saídas para o contra-ataque e falta de calma na finalização.

Mas o mais importante é que já se viu uma equipa mais coesa. Hoje sentiu-se que ia ser difícil para o Manchester nos ganhar. Se nós não tivemos muitas oportunidades, eles também não. E essas oportunidades aconteceram invariavelmente pelo flanco direito da nossa defesa.

Esse é mesmo um dos pontos negativos. Douglas é demasiado fraco a defender e não é com 27 anos que vai aprender. Pode ser útil em certos jogos do nosso campeonato mas não mais do que isso. Foi uma contratação contra o que o Benfica vem fazendo e sinceramente preferia ter ficado com Aurélio Buta. O outro receio que se está a confirmar não tem a ver com o jogo mas sim com a ausência de Jardel. Os problemas físicos não o largam e ele não consegue atingir um nível de forma aceitável. São 2 lacunas que o Benfica tem de pensar em colmatar em Janeiro.

Algo que também não está famoso é a forma física da equipa. Depois de um início fulgurante, vários jogadores caíram a pique. Perdemos demasiados duelos individuais e a nossa pressão dura poucos minutos. Ontem aos 10 minutos já se viam jogadores com dificuldades.

Mas também existiram boas notícias. Svilar é mesmo um grande guarda-redes. O erro é algo que lhe ia acontecer mais cedo ou mais tarde. Este é um dos riscos de lançar jovens jogadores. O importante é que a qualidade está lá. Até aquele momento esteve impecável e principalmente depois daquele momento também esteve.

Rubén Dias é um grande central. Desde o jogo de treino com o Leipzig que fiquei com boa impressão dele e a cada jogo que faz cresce a certeza que vai ser um dos melhores centrais do mundo. Espero é que se aguente por cá mais do que 1/2 épocas. Tem tudo para ser uma das referências do Benfica.

Filipe Augusto é um daqueles jogadores que os adeptos normalmente gostam de assobiar. Sinceramente não percebo porquê. Se é o estigma do Mendes ou se é por ser o patinho feio da imprensa. Rui Santos por exemplo tem-lhe dedicado muito tempo com mimos. E isso acontece por uma razão. Porque se percebe que ele pode ser o ponto de equilíbrio desta equipa. Tem características únicas. É alto, forte, bom tecnicamente e recupera muitas bolas. Ontem fez um grande jogo mesmo sem confiança. Se os adeptos não o queimarem se calhar daqui a uns anos estão a insultar Vieira por "o ter vendido ao desbarato".

Diogo Gonçalves também teve algumas boas arrancadas. Ajudou a defender e esteve concentrado. Tem uma potência que os outros não têm. É incomparavelmente mais forte fisicamente do que Cervi, Rafa ou Zivkovic. Hoje teve uma jogada de choque com Valência onde ganhou no corpo a corpo e nenhum dos anteriores faz isso nem sequer com adversários normais. Com minutos de jogo vai ser muito importante.

Agora é manter este equilíbrio. O importante neste momento é sermos uma equipa difícil de bater. A quantidade e qualidade de jogadores que temos do meio-campo para a frente vai fazer o resto. Apenas é preciso manter a consistência nas opções e aumentar a confiança e os níveis físicos dos jogadores. Temos potencial suficiente para construir uma equipa tão forte como a que terminou a época de 2015/2016.

domingo, 15 de outubro de 2017

Parece sempre o mesmo jogo

Os jogos fora de casa do Benfica parecem cada vez mais uma repetição dos anteriores. Com a bola muitas dificuldades em furar as defesas adversárias e sem bola não existe capacidade para controlar o adversário.

Para mim o problema resume-se ao equilíbrio da equipa. Ou melhor, na falta dele. O Benfica anda a privilegiar em demasia a técnica em detrimento da força. É Rafa, Zivkovic, Cervi, Pizzi, Krovinovic, Grimaldo ou Jardel (este porque está muito mal fisicamente) em vez de Eliseu, Ruben Dias, Filipe Augusto, Samaris, Diogo Gonçalves ou Gabriel. Não estou a dizer que devem jogar os que eu disse em segundo lugar em vez dos primeiro. Mas tem de existir um equilíbrio entre eles.

Por exemplo em mais de 1 época Rafa, Cervi ou Zivkovic lançaram um míssil como fez Diogo Gonçalves ontem? Ou algum dia vão fazer? Algum mostrou ter potência e força nos arranques como Diogo Gonçalves fez ontem pela direita em 2 ou 3 lances que ganhou a linha de fundo?

Depois existe o problema de Pizzi jogar num meio-campo a 2, e muitas das vezes sem extremos com capacidade defensiva, que tornam a equipa demasiado vulnerável. E a estatística neste aspecto não mente.

Fora de casa, em 2015/2016 Pizzi jogou uma vez na posição 8. Derrota em Arouca por 1-0. Depois disso apenas uma derrota no Dragão e um empate contra o União da Madeira. De resto só vitórias onde se destacaram os 4-0 em Tondela, 2-0 em Braga, 4-2 em Setúbal, 4-1 na Madeira, 4-1 em Moreira de Cónegos, 5-0 em Belém e 1-0 em Alvalade. Mesmo na Liga dos Campeões tivemos grandes vitórias por 2-1 em Madrid e em São Petesburgo.

Na época passada, mesmo que sem o mesmo controlo dos jogos da época anterior, começámos com vitórias por 2-0 em Tondela, 3-1 na Madeira, 2-1 em Arouca num jogo onde falhámos um número absurdo de golos e 2-0 em Chaves. Depois entrou Pizzi para o meio e daí para cá apenas vencemos 2 jogos por mais do que um golo de diferença. Em Guimarães e Belém. Vencemos 6 jogos pela margem mínima, empatámos 6 e perdemos 3. Em nenhum jogo marcámos mais do que 2 golos e apenas em 3 marcámos 2. Nos restantes 14 jogos marcámos apenas 1 golo ou mesmo nenhum!!!

Querem mais exemplos de como a técnica não é tudo? O Sporting de 2015/2016 sofria poucos golos. Saíram Slimani e João Mário e a equipa, com a mesma defesa e a mesma dupla de meio-campo, sofreu mais do dobro dos golos. E os substitutos de ambos foram Bas Dost (marcou mais golos que Slimani) e Gelson Martins que é o jogador mais valorizado do Sporting. O problema é que nenhum dos 2 deu o equilíbrio que Slimani e João Mário davam defensivamente.

Outro exemplo é o Porto desta época. Em casa com o Besiktas jogou com Oliver e Danilo no meio-campo e levou 3 que podiam ter sido mais. No Mónaco meteu lá Herrera e Sérgio Oliveira e ganhou 3-0. E Herrera é melhor que Oliver? Não. Oliver em 10 passes falha 1 enquanto que o Herrera nos mesmos 10 acerta 3 ou 4. A questão é que os jogadores do Mónaco foram batendo num muro e foram perdendo força física e psicológica. E o Porto, depois de um golo num lançamento lateral, matou o jogo numa jogada com 3 toques.

Rui Vitória tem muito por onde escolher para equilibrar a equipa e tem de o fazer. Se não fizer vão continuar a aparecer exibições pobres como as dos últimos jogos e neste momento sem a confiança que a equipa tinha na época passada por estar em primeiro lugar. Mesmo a equipa parece que já não acredita neste sistema. É psicologicamente extenuante para os jogadores sofrerem sempre tanto para vencer os jogos fora de casa.

Por isso muda Rui Vitória. Não continues à espera que as coisas mudem sozinhas porque isso não vai acontecer.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

O mundo ao contrário

Nos últimos 4 anos o Benfica fez grandes vendas, nos últimos 2 lançou vários jovens formados no clube, reduziu passivo e empréstimos bancários, mas ACIMA DE TUDO VENCEU quase todos os títulos que havia para vencer internamente. Nas modalidades a mesma coisa e com títulos europeus. Em qualquer parte do mundo uma gestão destas era considerada de excelência. Em todo o lado menos em Portugal.

Em Portugal no dia em que o Benfica teve o melhor resultado financeiro de sempre o que se falou foi o passivo que diminuiu pouco, as comissões, fizeram-se exercícios matemáticos onde foram subtraídas as amortizações ao valor que o Benfica recebeu da venda de jogadores e os jornais, aproveitando uma série negativa de resultados, até convocaram os sócios do Benfica a aparecerem na AG de aprovação de contas.

Já o imparável Sporting, no seu melhor ano em termos de vendas de jogadores, aumentou o seu passivo em "apenas" 60 milhões e vem de uma época desastrosa onde em Janeiro já não lutava por nada. Neste caso já não existiram convocatórias para a AG e a centena de sócios que por lá apareceu ainda foi culpada pelo seu presidente da falta de títulos. O motivo segundo o próprio é demasiado Facebook dos seus adeptos. No final uma salva de palmas para a brilhante gestão.

Falando dessa gestão nos últimos anos... Academia de Alcochete já é de um banco. Percentagens de venda de jogadores é para os bancos. Receitas da UEFA vão para a Doyen e para os bancos. Ex-jogadores e dirigentes vão ganhando processos em tribunal e estão à espera que lhes paguem. Antecipação de receitas do contrato de direitos televisivos. VMOCs serviram para esconder um passivo que continua a aumentar (80 milhões nos últimos 2 anos) e já vai nos 310 milhões (se somarem as VMOCs e o passivo de todas as empresas do grupo, deve ultrapassar largamente os 600 milhões).

No futebol vão de vento em popa. Não estão em primeiro em nenhuma competição. Vão em 4 jogos seguidos sem vencer. Apenas um golo marcado nesses jogos e num lance irregular. Receberam um adversário directo com a possibilidade de passar para a frente do campeonato e acabaram por levar um banho de bola e apenas criaram uma oportunidade de golo em 90 minutos. 

Já o Porto apesar do primeiro lugar no campeonato também não tem um futuro muito risonho. Não ganhou nenhum titulo nos últimos 4 anos. Aumentou o passivo de 233 para 377 milhões (era o valor no último semestre). Está intervencionado pela UEFA. Está a dever dinheiro a ex-jogadores e treinadores. Também já antecipou receitas dos direitos televisivos. Tem um plantel curto e teve de aproveitar todos os jogadores que tinha emprestados. Tem jogadores como Maxi Pereira e Casillas a colocar os custos com pessoal insuportáveis. O seu melhor jogador pode assinar contrato por outro clube em Janeiro. Dos jogadores com mercado não tem os passes de nenhum completos.

Eu estou a escrever isto e acho inacreditável toda a histeria que se vive no mundo Benfiquista. Eu vejo o estado calamitoso dos nossos adversários e aparecem umas almas a dizer que eles é que estão bem e ficam indignados porque investimos no Seixal, num colégio e num centro de alto rendimento em vez de um central ou de um lateral. É assim tão errado investir em algo que nos vai dar vantagem nos próximos anos na obtenção de miúdos e atletas que estiverem a ser disputados por vários clubes?

De repente com 2 meses de época tudo é posto em causa. Parece que é a primeira vez que nos últimos 4 anos estivemos a 5 pontos da liderança. Parece que estamos em Abril e não no inicio de Outubro. Eu gosto de exigência mas o que é demais é demais e chega-se a uma altura em que em vez de estarmos a ser exigentes estamos a ser idiotas.

Era bom Todos começarem a pensar que temos um Penta para conquistar. E ele não se conquista insultando os jogadores, o treinador e os dirigentes que nos permitiram estar a lutar por ele. Sem a união, vitórias como aquela no Bessa e em Coimbra em 2015/2016 ou em Vila do Conde nas 2 últimas épocas não tinham acontecido. Pensem nisso.