quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Pantanal Português

Na terça-feira mais do mesmo. Um filme que se repete over and over again. O Benfica é roubado indecentemente e se não vence de goleada lá estão os verdadeiros a bater no presidente, treinador, jogadores, etc. Com isso apagam mais uma arbitragem asquerosa contra o Benfica e validam as próximas que se seguem (vai ser já no Bessa).

Do jogo o normal. O Benfica trocou quase a equipa toda. Dizem hoje que não temos plantel de qualidade. O que eu sei é que segundo muitos, estava lá o melhor jogador do plantel ex aequo com Grimaldo. Falo de Zivkovic. Também lá estava Samaris, tão útil neste inicio de época para a comunicação social tentar criar um caso no Benfica e dividir os adeptos. Ainda lá estiveram Ruben Dias, Jardel, RDT, Vinicius, Pizzi, Taarabt e os miudos (que quando jogam na Champions é porque deviam jogar na Taça da Liga e agora já nem isso). Na minha opinião tinhamos os jogadores que deviam lá estar mas como não têm ritmo nem estão entrosados não se pode esperar grandes exibições. Sempre foi assim. Com o Fernando Santos, Quique Flores, Jesus ou Vitória. Basta ir ver alguns jogos de taça ao longo dos últimos anos.

Outra curiosidade foi a equipa do Covilhã. Nos momentos finais a precisar também de vencer para não depender de terceiros, tinha 11 jogadores dentro de área e festejava cortes como se de uma vitória se tratasse. Mistérios.

Por fim sem a sorte do jogo e com Rui Oliveira a apintar estava completo o cocktail para o Benfica não vencer. Para além do habitual critério largo para o adversário e apertado para os nossos jogadores ainda houve um penalti escandaloso por assinalar e um livre no final que foi como que a conclusão perfeita do que foi o jogo todo (apitar o máximo de lances possíveis contra o Benfica). Tempo de descontos foram 5 minutos. Isto depois de 3 assistências a jogadores do Covilhã (uma delas ao guarda-redes), de uma paragem por causa do equipamento do fiscal de linha e de 5 substituições.

Ontem, para completar o ramalhete nada como meter Fábio Verissimo a apitar o outro jogo do grupo. Um prémio certamente por mais uma arbitragem "inteligente" na Luz com o epilogo já depois do jogo a forjar um relatório para retirar um golo a um jogador do Benfica. Fontelas também esteve bem. Depois do Benfica criticar o árbitro 1 dia antes e do histórico que todos conhecemos, nada como o colocar num jogo onde pode prejudicar o Benfica.

E é assim que está o futebol português. Um autêntico lodo onde o Porto dispõe de uma dezena de árbitros e de um nomeador que faz corar de vergonha Pinto de Sousa. Caso não tenham reparado nos últimos 3 anos estamos de volta ao apito dourado e Fontelas faz questão de o demonstrar semana após semana com um despodor total nas nomeações que faz para os jogos de Benfica e Porto.

Houve uma altura em que o Porto, com a saida de Benquerença, Cosme Machado, Proença e Marco Ferreira e com o corte de relações com o Sporting onde perdeu o controlo sobre Hugo Miguel ou Xistra, tinha dificuldades em ter árbitros para todos os seus jogos. Para além disso os relatórios eram públicos bem como as notas dos árbitros. Era dificil nessa altura conseguir ter sobre controlo a maioria dos jogos do campeonato. Esses eram tempos em que se dizia que o futebol português era obscuro. Hoje em dia tudo isso acabou e nem sequer os próprios árbitros sabem os critérios pelos quais são avaliados. E no entanto não se houve uma única critica na comunicação social ao estado da arbitragem portuguesa. Hoje em dia um sector descaradamente corrupto.

E assim vai o Porto reforçando a sua força. Com os árbitros conotados com o Benfica (vulgo árbitros que não roubavam o Benfica como Rui Santos tão bem explicou a certa altura quando criticava as nomeações para os jogos do Benfica mas não as arbitragens) a serem corridos 1 a 1 ano após ano. Com o reatar de relações com o Sporting e com a entrada de mais alguns árbitros porreiros, o Porto neste momento conta com Artur Soares Dias, Jorge Sousa, Vasco Santos, Carlos Xistra, Fábio Verissimo, Hugo Miguel, Tiago Martins, Rui Oliveira, Luís Godinho ou Luís Ferreira. E árbitros como Nuno Almeida ou Manuel Mota, conotados com o Benfica, têm vindo a fazer de tudo para não serem os próximos a descer de categoria.

E neste estado de coisas não é preciso ser adivinho para saber que amanhã vai estar no Bessa um destes árbitros. Este jogo já está a ser preparado à muito tempo. Os machos de Lito Vidigal vão aviar pancada o jogo todo e o árbitro de serviço vai permitir. Vai fechar os olhos a umas entradas, vai avisar os jogadores noutras e não vai marcar sequer faltas em alguns lances para amarelo. Já os jogadores do Benfica em qualquer oportunidade vão ser admoestados. É este o guião dos últimos anos onde o Benfica raramente fica a jogar em superioridade numérica e onde em menos de 1 ano e meio já ficou 9 vezes a jogar em inferioridade. E se lá pelo meio ficarem um ou outro penalti por marcar não é nada de novo. É só mais um para a contagem desta época...

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Os mistérios Samaris

Samaris é nos tempos que correm um excelente exemplo dos mistérios que assolam os adeptos Benfiquistas. E antes de continuar este texto quero dizer que sempre gostei de Samaris, que o acho um excelente jogador e que quero que continue no Benfica.

Samaris está na sexta época no Benfica. Ao longo destas épocas a única onde foi aposta regular foi em 2014/2015 a jogar como 6. Nessa época Fejsa esteve sempre lesionado e era comum ouvirmos que aquela não era sua posição (diziam que devia jogar a 8). As épocas foram passando e Samaris nunca mais conseguiu ter uma época completa como dono do lugar, sendo sempre relegado para o banco em detrimento de Fejsa, e jogando ainda bastante tempo devido as muitas lesões do Sérvio. Em 2017/2018 Samaris teve mesmo uma época negra em que parecia que andava de cabeça perdida, sendo expulso em algumas ocasiões e arriscando noutras.

Nessa altura eram poucos os Benfiquistas que queriam a continuação de Samaris. Maior parte não queria que ele renovasse. Foi então que chegamos a Janeiro do ano passado onde Samaris entrou na equipa por lesão de Fejsa e durante 2 meses e meio esteve muito bem... tal como toda a equipa que teve aí um pico de forma. Mas no final da época, tanto ele como a equipa, já não estavam no nível dos meses anteriores. Mas nessa altura já todos exigiam a renovação.

Nesta temporada teve uma pré-época má e na maioria dos jogos que fez (que ainda foram alguns) esteve francamente mal, com excepção para o último jogo que fez contra o Portimonense. E ainda assim vejo toda a gente a pedir a sua titularidade por causa de 3 meses bons que teve na época passada esquecendo tudo o que aconteceu antes e depois desses 3 meses. Não só vejo isso como ainda criam um caso em torno do jogador. A comunicação social já aproveitou o momento e em TODAS as convocatórias é dado destaque a presença ou não de Samaris. E agora já falam mesmo na sua saída (que não me parece que vá acontecer) porque sabem que vai causar ruído.

Mas o Benfiquista hoje em dia embarca nisto tudo. O Benfiquista nas redes sociais só vê maldade e segundas intenções nos actos de gestão no Benfica mas vê nos jornalistas da Cofina homens impolutos incapazes de dizerem mentiras sobre o Benfica.

Muitos adeptos Benfiquistas são hoje manietado pela comunicação social. Só assim se explica a critica constante a tudo e todos (pior que isso as insinuações e acusações). Do treinador que bate recordes atrás de recordes. Do presidente que pegou no pior momento da história do Benfica, com o Porto no auge do domínio em Portugal, com o Sporting com 2 títulos recentes e com a melhor formação em Portugal na altura, ambos melhor financeiramente e voltou a colocar o Benfica hegemónico em Portugal e com condições para continuar a ser nos próximos largos anos. Do empresário que desde que trabalha com o Benfica ganhamos 5 em 6 campeonatos e tivemos lucros em todas essas épocas.

Façam um favor ao Benfica. Critiquem o que acham que têm de criticar mas deixem-se de insinuações. Não sejam umas marionetas.

domingo, 10 de novembro de 2019

E o prémio de Bobby do dia vai para...



...João Henriques, treinador do Santa Clara.

João Henriques é o "homem" que após um Paços de Ferreira vs Porto, em que teve a ousadia de vencer, não só ficou de mão estendida como ainda levou um escarro para casa de Sérgio Conceição. Daí para cá lembro-me pelo menos de 2 roubos monumentais que o seu Santa Clara sofreu contra o Porto (na época passada nos Açores e já esta época no Porto). João Henriques como um cachorrinho bem comportado comeu, calou e ainda cumprimentou Sérgio Conceição com um sorriso de orelha a orelha.

Hoje num jogo onde Artur Soares Dias e Rui Oliveira o agraciaram com o perdão de um vermelho a um jogador seu e ainda viu ficar por assinalar talvez o penalti  mais escandaloso desde que existe VAR, teve a coragem de ir vomitar alarvidades durante toda a conferência de imprensa por causa de um lance em que se alguém fez falta no primeiro golo do Benfica foi o seu jogador.


Mas não se ficou por aqui e no meio da choradeira teve a cara de pau de dizer que trabalham para o futebol português ser competitivo e para o ajudar a melhorar. Num jogo onde aos 10 minutos de jogo o guarda-redes já estava a perder tempo, ao 75 já tinham sido 6 jogadores assistidos e numa delas foram rascas ao ponto de não devolverem uma bola ao Benfica após a assistência de um jogador seu. 


Por tudo isto, e que me perdoem Artur Soares Dias e Rui Oliveira, o prémio vai mesmo para João Henriques.

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

As equipas da úlimas grandes vitórias na Liga dos Campeões

Coloco aqui talvez as 3 últimas grandes vitórias do Benfica na Liga dos Campeões.

Benfica 2-1 Manchester United
Quim, Anderson, Luisão, Alcides, Leo, Beto, Petit, Nuno Assis, Nelson, Geovanni, Nuno Gomes

Liverpool 0-2 Benfica
Moretto, Anderson, Luisão, Alcides, Leo, Beto, Manuel Fernandes, Robert, Simão, Geovanni, Nuno Gomes

Atletico Madrid 1-2 Benfica
Julio Cesar, Nelson Semedo, Luisão, Jardel, Eliseu, André Almeida, Samaris, Gonçalo Guedes, Gaitan, Jonas, Jimenez

Onde é que estavam nestes 11 os grandes centrais e laterais que sabem sair a jogar? Onde é que estavam os supra sumos de inteligência? Ganhamos com jogadores como Anderson, Alcides, Beto, André Almeida ou Eliseu contra Manchester, Liverpool e Atletico, mas hoje em dia com Grimaldos só ganhamos ao AEK.

Fomos a finais da Liga Europa com André Almeida a jogar na esquerda. Fomos a quartos de final da Liga dos campeões a jogar com Alcides e Ricardo Rocha a laterais, fomos a quartos de final da Liga dos Campeões com Emerson (2012), fomos a quartos de final da Liga dos Campeões com André Almeida e Eliseu. E hoje em dia cheios de portentos de técnica somos amassados jogo após jogo.

Na Liga dos Campeões, mais do que meter lá para dentro jogadores que dominam todos os conceitos do jogo é preciso jogadores que saibam sofrer. Principalmente em jogos fora de casa. Na Liga dos Campeões não vamos estar sempre a atacar. Pelo contrário. Não podemos estar sempre a tentar sair com a bola pelo chão quando estamos a sofrer pressão alta. Perder uma bola na Liga dos Campeões tem consequências.

Vejam o que disse Klopp depois de perder em Barcelona na meia-final da época passada:


Klopp sabia que o Barcelona ia jogar a Anfield como se tivesse 0-0 na eliminatória e como se fosse contra o último classificado da Liga Espanhola. Vejam o que o Grimaldo de Barcelona, Jordi Alba, fez nos primeiros 2 golos do Liverpool. Tentou sair a jogar, ficou sem ela e deram em golo. E no quarto golo nem vou falar.

Com um jogador como Messi, o Barcelona podia ter mais 3/4 Liga dos Campeões mas andam lá com Pique, Jordi Alba e Sergio Roberto. Nos últimos anos já levaram 4 em Paris, 3 em Turim, 3 em Roma e 4 em Liverpool.

Só quando no Benfica perceberem isto é que podemos voltar a fazer uma Liga dos Campeões aceitável.

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Mais um banho de realidade

Mais uma vez e como tem sido hábito nos últimos 3 anos em jogos de Liga dos Campeões fomos completamente amassados a nível fisico. Perdemos todos os sprints, todos os corpo a corpo, todos os duelos aerios, Eles foram sempre mais explosivos, mais rápidos, mais fortes. E provavelmente correram menos durante o jogo do que nós.

O nível do campeonato português tem disfarçado as deficiências de muitos jogadores e a cada ano que passa a diferença entre o nosso campeonato e o nível Liga dos Campeões aumenta. E é aqui que o Benfica tem de repensar a sua estratégia. É preciso ver para além dos títulos em Portugal. É preciso avaliar o plantel de acordo com o que são os poucos jogos de Champions que temos por ano. É difícil deixar sair jogadores que brilham durante 80% da época mas se realmente queremos ser competitivos a nível Europeu tem de ser assim.

E o problema não está na formação. O problema está na base de apoio para que os jogadores da formação cresçam. São precisos 5/6 jogadores fortes dentro de campo para que os miúdos entrem mais facilmente na equipa. Sem se esperar que sejam eles a resolver. Não faz sentido colocar a pressão de um Benfica Europeu (um erro gigantesco de comunicação para esta época) nos ombros de miúdos de 18 anos que olham em volta e têm como "boia de salvação" Grimaldo ou Cervi.

Vejam a parceria dos 2. Uma parceria que existe porque o "ponto forte" do defesa é atacar e o do extremo defender. Dizem que se complementam. Não. Não se complementam. Está cada um a tentar minimizar as limitações do outro. No futebol deve existir entre ajuda mas não pode existir jogadores a jogarem por causa de outros. Isso é como ter um a menos. Também não deve haver laterais trocados porque a cada bola parada se tem de proteger um desses laterais. Para um jogador ser competente na sua posição tem de ter as qualidades para essa posição. Se não as tem não serve. É tão simples quanto isso. E Grimaldo não as tem por isso não serve para o Benfica.

No centro da defesa temos outro problema. Por muitas caracteristicas de líder que Ruben Dias tenha, tem apenas 22 anos. Não pode ser um miudo de 22 anos o patrão da defesa do Benfica. Tem de ter um grande central ao seu lado com experiência. Até para o fazer crescer neste contexto de Liga dos Campeões. Obviamente que o problema destas derrotas não é ele porque é o melhor que temos neste momento. O problema é o seu colega de defesa ter ainda menos experiência e o terceiro central infelizmente já não ter condições para jogar a este nível. Jardel já só dá contra algumas equipas da primeira Liga. Aceito que fique como 4º central e para o balneário mas já não percebo que seja ele o chamado para estes jogos sempre que existe um problema. E isso já tinha ficado provado em muitos jogos da época passada.

Na direita não se compreende como mais de metade dos jogos como senior de Tomás Tavares tenham sido na Liga dos Campeões. Quando tanto Bruno Lage na pré-época ou Renato Paiva após um jogo contra a Académica tenham referido a importância do degrau da equipa B para os preparar para a equipa principal. O miúdo nunca tinha jogado contra homens, não fez sequer a pré-época com o plantel principal e de repente está em campo com a pressão de vencer jogos contra as melhores equipas do mundo. E com isso a ser queimado aos olhos dos adeptos porque obviamente não consegue corresponder.

Depois não jogamos com extremos rápidos e fortes, tanto fisicamente como no 1x1. Estão lá Caio e Jota. Não sei se nenhum joga em detrimento de Cervi porque não estão a corresponder ou se é porque se tem de proteger o defesa esquerdo.

Agora imaginem um onze com Vladochodimos, André Almeida, Ruben Dias, Central Experiente, Defesa Esquerdo experiente, Caio, Gabriel, Florentino, Taarabt, Vinicius, Raul de Tomas. Do meio campo para a frente até podiam existir outras combinações. Não era melhor do que vimos ontem? Vejam aqui a cara dos 11 jogadores do Lyon e dos 11 jogadores do Benfica. Não se percebe logo que vamos levar um amasso? E nem vou buscar a diferença entre o total de altura e peso de ambas as equipas. Deve ser absurdo.

terça-feira, 29 de outubro de 2019

Mais 3 pontos e amanhã há mais

Habituei-me ao longo dos anos a não esperar muito de jogos após a Champions. E por essa Europa fora percebe-se que é um problema geral a todas as equipas. Por saber disso, pela perda de Rafa, por o Benfica ter corrido muito na quarta-feira e pela descarga emocional que se percebeu existir após a vitória com o Lyon temia que em Tondela perdêssemos pontos. Felizmente tal não aconteceu.

Mais uma vez (desde o jogo em Braga que é assim) tivemos outra equipa a jogar toda fechada atrás. Novamente com 3 centrais. E novamente sem arriscar, mesmo depois de marcarmos.

De positivo neste jogo a forma como nos sentimos confortáveis sem bola. Não consentimos qualquer oportunidade depois do golo. Mas é preciso mais do que isso. Percebo que a equipa não arrisque depois de estar a vencer, principalmente depois dos 2 contra-ataques do Tondela antes do golo. Mas mesmo sem arriscar é preciso mais qualidade na frente.

Mais uma vez Seferovic foi 0. Eu aplaudo-o pelo que corre e por deixar tudo em campo mas só isso não chega. Eu ainda entendia se não tivéssemos mais ninguém mas no jogo da Taça Vinicius mostrou que é claramente um jogador acima de todos os outros. E depois do grande jogo que fez incompreensivelmente foi para o banco 2 vezes.

Na esquerda Cervi foi novamente titular para Grimaldo poder aparecer como um médio interior e para ir tapar os buracos que o espanhol deixa lá atrás (nas duas oportunidades do Tondela o Grimaldo nem aparece no ecrã). E isto custa-me a aceitar. Se tivéssemos um Messi e ajustássemos a equipa por sua causa eu compreendia. Agora fazê-lo por causa de um defesa-esquerdo que mesmo a atacar é limitado por muito que digam o contrário?

Pizzi continua a fazer jogos medonhos. E tem sido assim desde o inicio da época. E só mesmo o faro pelo golo é que lhe vai valendo a importância que tem na equipa. Mas se calhar está a chegar a altura de ter uns jogos de fora.

Na frente também tivemos Taarabt que quase não tocou na bola. Tal como aconteceu em Zenit esteve novamente apagado e parece que a posição de segundo avançado não é a melhor para ele.

No entanto mesmo estes jogadores têm qualidade para fazer melhor do que têm feito. Infelizmente a equipa anda novamente sobre brasas devido a esta nova cultura de exigência que se apoderou do Benfiquismo, onde estar na frente do campeonato e na luta pela passagem na Champions não chega. Tudo o que não seja criar 20 oportunidades por jogo e ganhar por mais de 5 não é suficiente.

Uma palavra para Bruno Lage que fez história e que não lhe vê ser reconhecido o trabalho que tem feito. É nojenta a forma como é tratado pela comunicação social e não é melhor a forma como alguns Benfiquistas já lhe estão a fazer o mesmo que fizeram com Rui Vitória. Estamos num ponto em que já nem se esperam pelas derrotas para malhar.

Eu sei que as exibições não são as melhores mas relembro que mesmo essa equipa maravilha de 2013/2014 que anda a ser relembrada por essas redes sociais tinha por esta altura 1 derrota na Madeira e empates em casa com Belenenses e Arouca. Estava atrás de Porto e Sporting e viria a ser eliminada da Champions num grupo com PSG (ainda longe do que é hoje), Olympiacos e Anderlecht. Os planteis só se vêm se são bons no final das épocas mas este já com lesões de André Almeida, Gabriel, Florentino, Chiquinho, Vinicius e agora Rafa está na frente com 7 vitórias, 1 derrota e apenas 3 golos sofridos.

Para amanhã Vlachodimos, T Tavares, Ruben Dias, Ferro, André Almeida, Chiquinho, Florentino, Gabriel, Caio, Vinicius e De Tomas.

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

15 minutos de mudanças

Antes de mais quero lembrar que o Lyon que vencemos tem o triplo do nosso orçamento e que antes desta jornada era primeiro do grupo, Venceu inclusivamente por 2-0 no terreno do Leipzig e pelo que parece não perdia fora de casa para as competições europeias desde 2016. Sei que está em 17º na Liga mas não quer dizer que não tenha grandes jogadores. Começa a ser irritante esta mania de que todos são fraquinhos e que na Liga dos Campeões temos de esmagar os adversários.

Indo para a partida, fiquei contente por Lage ter reforçado o meio campo com Cervi e Gedson. Já o disse várias vezes que na Liga dos Campeões mesmo os artistas têm de correr e ser capazes de ser minimamente competentes a defender. E se os nossos artistas não o conseguem fazer têm que ir para lá outros. Gostei também da aposta em Rafa como segundo avançado. O que eu não consigo entender é esta insistência em Seferovic quando temos 2 jogadores no banco incomparavelmente melhores.

Surpreendemos o Lyon e nos primeiros minutos fomos bastante superiores. Mas entretanto Rafa lesionou-se e foi aí que Lage cometeu o grande erro da noite. Em vez de colocar um ponta de lança ao lado de Seferovic decidiu fazer entrar Pizzi para a direita e avançar Gedson para a frente. Com uma substituição Lage estragou 2 posições. Perdemos capacidade de luta a meio campo, com Pizzi mais uma vez a ser sofrível e deixamos de ter alguém que conseguisse ter bola na frente. Como consequência passamos a ser encostados atrás sem praticamente conseguirmos sair para o ataque. Ainda assim tivemos mais 2 oportunidades na primeira parte. Infelizmente nos pés de Seferovic.

Na segunda parte o domínio do Lyon intensificou-se e sofremos o golo. Durante uns minutos a equipa esteve perdida em campo e parecia que nem o empate iria conseguir uma vez que já se notava desgaste principalmente em Gabriel e Florentino. Mas já com Vinicius e Raul em campo conseguimos voltar a ter um fôlego final. Fizemos o golo, tivemos uma bola ao poste de Pizzi e também um lance em que Raul podia ter rematado após um cruzamento de Vinicius.

Como notas finais:

Apesar do golo ficou mais uma vez visível que Pizzi não chega para estes jogos.

O Benfica não pode andar a colocar Cervi porque é preciso disfarçar as limitações de Grimaldo.

Gabriel e Florentino são 2 jogadores de outro nível.

É impressionante como defendendo durante tanto tempo, concedemos tão poucas oportunidades ao  Lyon mesmo tendo uma defesa com média de 21/22 anos. Grande trabalho de Lage no posicionamento defensivo.

Mais uma vez uma arbitragem miserável. Devíamos ter terminado a jogar contra 9 mas terminamos contra 11.